(15) 3413-6325 / (15) 3413-6312 | contato@qnoticia.com.br
Blog

Instituto de Oncologia de Sorocaba alerta para o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Cabeça e Pescoço

  • Estima-se que, pelo menos, 43 mil casos desse tipo de câncer surgiram no país, no último ano; desenvolvimento da doença pode ser evitado, a partir da adoção de hábitos saudáveis de vida.

O dia 27 de julho ainda é uma data que chama pouca atenção no Brasil. Mas, instituições ligadas à saúde, como é o caso do Instituto de Oncologia de Sorocaba (IOS), aproveitam a ocasião para convidar a população a refletir sobre um assunto muito importante: o Dia Mundial de Conscientização e Combate ao Câncer de Cabeça e Pescoço. A estimativa do Inca (Instituto Nacional do Câncer) é de que 43 mil casos desse tipo de doença tenham surgido no país, no último ano.

Mas, o que significa o termo “câncer de cabeça e pescoço”? Dra. Luciana Buttros, médica oncologista clínica do Instituto de Oncologia de Sorocaba (IOS), explica que é denominado assim todo câncer ou tumor envolvido nessa região do corpo. “Esses tumores podem estar em regiões como os chamados seios da face, a parte de nasofaringe, lábios, língua, mucosa oral e faringe. Podem, ainda, acometer linfonodo de pescoço, glândulas salivares, enfim, todas essas partes”, afirma a médica.

Assim como outros tipos de cânceres, a detecção precoce é muito importante para aumentar as chances de sucesso do tratamento e reduzir impactos na qualidade de vida. Por isso, a data nos revela também a importância de estarmos sempre atentos aos sinais do problema.

Sintomas podem ser sutis  

Entre os principais sintomas do câncer de cabeça e pescoço estão: a dor localizada, a rouquidão e a consequente alteração no tom de voz e o desconforto para deglutição, ou seja, a dificuldade para engolir. Se esses sintomas forem persistentes, o melhor a fazer é buscar ajuda médica especializada.

A doença pode atingir tanto os homens, como as mulheres, em diferentes idades, mas apresenta alguns fatores de risco bem comuns, especialmente o tabagismo e o etilismo, que são os hábitos de fumar e ingerir bebida alcóolica. Por esses hábitos serem mais observados em homens, eles acabam ficando mais expostos à doença, notadamente na faixa etária entre os 50 e 60 anos. Atualmente, também se observa que, em pacientes mais jovens, o surgimento da doença também pode estar relacionado à presença do vírus HPV.

Assim, a melhor forma de prevenção é a adoção de hábitos saudáveis de vida, principalmente no que diz respeito a evitar o fumo e a bebida.

Diagnóstico precoce beneficia o tratamento

A confirmação do diagnóstico é feita clinicamente, pelo médico oncologista. Se a queixa que levar o paciente ao consultório tiver sido a rouquidão, por exemplo, pode ser feita uma nasofibrolaringologia, que é um exame feito pelo otorrinolaringologista e consiste na introdução de uma pequena câmera, através do nariz ou da boca, para procurar lesões nesta região. A suspeita diagnóstica também pode vir do dentista, que vai relatar se existe alguma lesão na boca. “Quanto mais precoce a descoberta, melhor, pois há a chance de remover cirurgicamente a lesão, com maiores chances de cura”, diz Dra. Luciana.

Os tratamentos, hoje em dia, baseiam-se, principalmente, no ato cirúrgico, na quimioterapia, na radioterapia e, com o avanço dos tratamentos oncológicos, pode incluir também a imunoterapia. O estágio no qual a doença é descoberta também influi na qualidade de vida do paciente. Quanto menor o tumor, maior a possibilidade de ser fazer o tratamento de ressecção (retirada da lesão) e envolver menos sintomas relacionados à doença. Ao contrário, quanto mais avançado, existe a possibilidade de o tratamento incluir radioterapia ou exigir uma cirurgia mais extensa. “O dano causado é tanto de ordem estética, por ser uma região muito aparente, quanto corre-se o risco de a radioterapia desencadear efeitos colaterais tardios, podendo alterar a qualidade de vida, muito embora vemos, hoje, que, com a evolução dos tratamentos de radioterapia, os seus efeitos também tendem a ser menores”, conta a especialista do IOS.

De maneira geral, a grande mensagem que instituições de saúde se empenham em divulgar no 27 de julho é fazer as pessoas se engajarem em uma rotina de vida mais saudável, sempre atentas à própria saúde e não demorando para levar suas suspeitas de alterações no próprio organismo ao consultório médico.

Mais informações podem ser obtidas pelo site: www.oncologiasorocaba.com.br ou nas redes sociais: Instagram (@institutooncologiaios) e Facebook (Instituto de Oncologia de Sorocaba “Dr. Gilson Delgado”). O Instituto de Oncologia de Sorocaba está localizado no Centro de Medicina e Saúde, que fica na Av. Comendador Pereira Inácio, 950, Térreo, Jd. Vergueiro, telefone: (15) 3334-3434.

Terapia por Ondas de Choque promove alívio rápido de dores persistentes

  Tratamento envolve uso de moderno equipamento que entrega grandes doses de energia em pontos dolorosos do corpo, desencadeando os...

Leia Mais

Câncer de cabeça e pescoço: um mal que pode ser evitado

Segundo estatísticas do Inca, a cada ano, surge uma média de 41 mil novos casos da doença no Brasil; contudo, grande parte...

Leia Mais

Julho alerta para prevenção dos cânceres de bexiga e ósseo

Estimativa do INCA prevê 10.640 novos casos de câncer de bexiga em 2020; câncer ósseo é o tipo mais incidente em...

Leia Mais